Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

Vergonha | 7º dia

Manhã cedo no mercado a comprar pão. Pão de sementes para mim, pão branco para eles. O Gustavo troca-me às voltas e quer o pão de sementes. Sempre assim. Comprei legumes frescos para a sopa da Francisca. E para a sopa do resto da família. Adoro o cheiro do mercado e do mar pela manhã. Adoro ver pessoas sorridentes pela manhã. Com o mês de Julho chegaram mais pessoas a Pedrógão. E o calor. Fui ao café Gente Gira, fiz uns snaps (as saudades que eu já tinha de falar com a minha cara a olhar de esguelha) enquanto bebi um café. Lá se meteram com a Francisca, não há um dia que não se metam com ela. "Quanto tempo tem? Tão fofa, tão gira. Pesinhos tão gordinhos. Parece a Sofia". Dizem sempre isto no café. A Sofia é a neta dos donos do café. Nunca a vi. Depois de almoço fomos até à Lagoa da Ervedeira. Não conhecia. Só tinha visto fotos na internet. É um sítio muito bonito. Natureza pura, ar puro. Estavam imensas pessoas a fazer almoço no parque das merendas. Sem burro, fomos com a tralha toda até à Lagoa. O Zé pergunta quantas pessoas conhecemos capazes de fazer isto. Eu respondo que toda a gente no mundo consegue, mas nem toda a gente se dá ao trabalho. Quando fui beber café com o Gustavo encontrámos um mini campo de futebol com balizas pequeninas. Tinha também um parque para os miúdos bem catita. Ele comeu um Epá. Acho que foi a segunda vez na vida que comeu um Epá. A primeira vez foi no jardim de Vila Franca de Xira e sujou-se todo. O Gustavo encontrou uma bola perdida ao pé da baliza. Quis ficar com a bola. Eu disse-lhe que não podia porque não era dele. Ele não quis saber. Para virmos embora teve de trazer a bola. Eu levei a bola dele, ele levou a bola do outro. Eu já não aguentava os gritos do miúdo quando lhe disse para deixar a bola do outro. Às vezes, faço isto. Não roubo bolas, mas deixo-o fazer o que ele quer só para não o ouvir. Sei que não é o mais correcto, mas teoria é teoria. Quero ver na prática. Quando chegámos à toalha o Zé ralhou comigo porque trouxe uma bola que não era nossa. Quando formos embora vamos lá entregar, disse-me. Pronto, está bem. É só uma bola. Também roubaram a bola dele na outra praia. Enquanto falávamos no assunto, apareceu um homem chateado que perguntou ao Gustavo: onde é que está o teu pai? O Zé todo aflito: sou eu. O homem: esta bola é do meu filho. E agarrou na bola. O Gustavo começou logo com o berreiro. Fui buscar a bola dele e expliquei ao homem que só tinha trazido porque ele não se calava. O Zé disse logo umas seis vezes seguidas: por acaso íamos devolver quando fossemos embora. Claro que ninguém acredita nisto. O homem disse que entendia porque o filho dele era igual. Convidou o Gustavo para ir jogar à bola com o filho. Eles foram, eu fiquei com a Francisca. O Zé disse que ele acreditou, que lhe ofereceu um copo de cerveja e tudo. Sim sim. O Zé estava envergonhado com a situação. Eu continuo a pensar: é só uma bola! Adiante. O Zé foi mergulhar na Lagoa. Eu fiquei a olhar. Não molhei as unhas sequer. Estava muita gente. O meu fio dental era demasiado escandaloso para aquelas pessoas. Arrependi-me logo da escolha. Também li o livro do Joel Neto. Ele escreve muito bem, mas a narrativa não é nada fluida. Todas as pessoas que passaram por nós se metiam com a Francisca. Diziam: oh que bebé tão pequenina, oh que bebé tão fofo. Nunca trataram por menino ou menino. Tinha medo de errar. O Zé reparou nisso também e perguntou se ela tinha cara de rapaz. Eu acho que tem. Sei lá. Não se nota bem. Depois mais uma guerra para irmos embora. É sempre assim. O Gustavo nunca quer ir embora para casa. Sejam as horas que forem. Qualquer dia deixo de ir seja a onde for. Perco sempre três quilos com estas guerras. A Francisca já começa a gostar mais do carro, agora que perdeu mais aquele cheiro a novo. Não sei. Fomos comprar o jantar. Eles adormeceram na viagem. Depois tivemos de os acordar para os levar para casa. Ohhh. Aquelas coisas habituais, comer e banhos. O Gustavo toma sempre banho comigo. Gosta de me lavar a cabeça. E mandar-me água para a cara. Tom & Jerry pela décima terceira vez. Já estou fartinha. Já conheço as músicas. Li mais um bocado. Também tentei ouvir umas notícias mas o Gustavo não deixou. Só queria brincar à luta das almofadas. Desisti. Vim para o quarto. Está muito silêncio nesta casa. Estou de coração cheio. E não me apetece falar em coisas menos boas. A vida é mara! Vou comer. 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D