Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

Nao paguei bilhete

Este ano estive no Brasil e visitei praias lindas. Aquele tempo é feito para a minha pele branca. Corri no calçadão até ficar sem pernas para andar. Bebi sumos naturais com palhinha verde. Adoro praia, usar calções a mostrar o rabo (nem sei porque ando de calções, neste caso). Também visitei Angola. Estava muito estragada. Tem pessoas muito simpáticas e calorosas. Andei de jipe. Foi engraçado. Comi muito peixe. Usei saias compridas e lenços na cabeça. Tentei dançar semba mas não consigo, é complicado. Também estive em Portugal, norte e sul. Até nos Açores. Senti o cheiro do mar, vi baleias, andei de barco. Percorri caminhos rodeados pela natureza. Na Rússia o tempo que lá estive foi bastante violento. Vi sangue, as pessoas andavam à luta para mostrar bravura. Muita vodka. Gosto de vodka mas ninguém tinha sumo de limão para fazer uma pequena mistura. Chamaram-me fraca. Fui a Roma e achei estupidamente romântico. Fui sozinha, não senti o encanto da cidade no seu esplendor. Em Espanha vi rainhas, duquesas, princesas. Conheci Barcelona, cidade mais bonita e misteriosa. Ah, estive na Suécia, frio para caraças. Em França, estive em Paris depois de ter estado presa no trânsito numa ponte e ter conhecido pessoas fantásticas durante uma semana. Fui conhecer Argentina. Sem palavras. Fiquei a dormir num condomínio de luxo. Mergulhei numa piscina limpa e enorme. Tentei jogar golfe mas não consegui. Um fracasso. Nos EUA encontrei um homem estranho, com uma mala cheia de dinheiro. Andava a pagar copos a todos. Aproveitei e bebi também.


Foram as viagens deste ano. Maravilhosas e inesquecíveis.

Mau Feitio Recomenda

o Restaurante O Mira em Cascais. o vinho Muralha. a noite de Lisboa e o jantar na esplanada ao som de música. a brisa de São Pedro de Moel. a exposição do Berardo. os jardins de Belém. um livro na praia do Baleal (não me esqueci do post que fiquei de escrever sobre o  melhor livro de sempre). uma sesta no sofá. creme cheiroso no corpo. Ice Tea de pêssego bem fresco. o blogue cronicas de amor (puxar a brasa à minha sardinha). o novo CD dos Deolinda. o azul e o branco. a H&M. a Time Out. a franja. o cabelo ao natural e bonito. as fotografias no jardim de Alenquer. ou em qualquer lugar em Alenquer. o sol e a chuva. o amor e a paixão. salada russa fresquinha. batidos de morango e banana. beijos e pernas à mostra.

 

 

essencialmente a vontade de viver bem e melhor.

Sociedade peço desculpa a sinceridade, começo a deixar de gostar de vós

 

É importante revelar ao Mundo o estado civil. Revelar todas as viagens. Revelar com quem namoram. Que acabaram de se divorciar. Ou vão casar. Que acabaram de acordar e à tarde vão ao cinema. O Mundo precisa de saber. Há que conta, revelar. Caso contrário o Mundo curioso não dorme. O Mundo gabarolas não dorme.

 

Sinceramente, assusta-me, não gosto da nova sociedade. Quero as pessoas de antigamente. Quero conversas cara a cara. Quero os telemóveis no lixo para falarem comigo a olhar-me nos olhos. Quero pessoas mais contidas. Pessoas que deixem de confiar a sua vida a qualquer um. Que guardam as fotografias num álbum antigo e mostrem aos amigos mais chegados. Que me escrevam bilhetes em vez de sms atrás de sms. Prefiro gargalhas a LOL. Sorrisos verdadeiros em vez de :D. Prefiro as quintas com hortaliças de verdade em vez do FarmVille. Prefiro namorar com beijos em vez de @. Parei no tempo? Não, não parei. Vejo a sociedade avançar pelo caminho errado. Avanço ao seu lado. Mas consegui colocar travões.  Fazer escolhas. Desisti de abraçar esta sociedade louca que vejo por aí. Gosto de pessoas reais, virtuais, pessoas no fundo. Mas sinceramente? Já gostei mais. Fico desiludida com o que vejo. Com a exposição sem sentido. E quando oiço dizer que o Facebook é a nova ameaça acredito que seja.

 

Vamos todos viver e ir para o computador contar ao Mundo, o Mundo tem necessidade de saber. Vamos  todos viver e perder o que está ao nosso redor agarrados ao telemóvel. Vamos todos viver e tentar comparar com a vida de outro.

 

Vamos todos viver e em tempo real não viver a vida real.

melhor amiga está em Andorra

Emanueladepaulanext20106_large

 

Eu em Portugal. Inveja. Vai para a neve. Anda tudo a conhecer o Mundo (ver post anterior). É bem. Eu vou fazer o trajecto casa-trabalho durante esta semana sem olhar a mais. Dormir o mais possível. Tentar não acordar às quatro da manhã com pesadelos parvos. Agora que não tenho portátil,nem carro, resta-me ler, comer ou dormir. O namorado voltou ao horário 16h-24h. Não gosto. Parece-me que será uma semana rica. Sem muito para me preocupar. Aliás, sem nada para me preocupar. Tirando o seguro para fazer, a alteração do carro para o  meu nome, a senha das finanças, o vírus no portátil, a prenda de aniversário do João, os meus sonhos e a minha maior e mais recente desilusão. Coisa pouca. Nada que não se resolva, claro.

 

A melhor amiga em Andorra, eu de dedos cruzados a torcer para que seja feliz estes dias (todos) . Acabei de falar com ela ao telefone e parece que faltam três horas para chegar ao destino. Um autocarro cheio de malta doida, com megafone na mão, a gritar em plenos pulmões  "eu amo você".

 

E eu em Portugal. Mais propriamente no concelho de Alenquer, uma terra como não há outra. Cheia de patos a passear nas ruas. Única, eu sei.

Ia ser a mais feliz do Mundo mas falta-me o bilhete

Campagne0043_large

 

Olho para a minha vida e descrevo-a com uma frase. "Tudo me acontece!". Excepto, ir emigrar para a Dinamarca e fazer parte do país mais feliz do Mundo. Sim, os habitantes dessa cidade são o povo mais feliz do Mundo. Têm os estudos pagos. Tudo o que está relacionado com a saúde é gratuito. As crianças brincam nas ruas, sem medo que sejam violados ou raptados. As casas têm pouca tralha, não vivem do consumismo. Vivem para a família. Vão para casa de bicicleta às cinco da tarde. Escolhem empregos de acordo com valores morais. A comida é saudável. O que pode ser melhor?

 

Ah, já sei. Saber que há uma pequena possibilidade de eu imigrar para Dinamarca. Os bilhetes não devem ser caros. E eu não me importava nada. Nada.

Só me faltava isto, que mais?

Inglot Black Lipstick, Zara Grey Shirt, Lipsy Studded Skirt, Zara Booties

 

 

Acordei atrasada. A caminho do emprego o maldito cão preto quase quase que me mordia. Apanhei um valente susto, mas o pior estava para vir. Ao atravessar a estrada, na passadeira, fui quase quase atropelada. Exactamente. Só tive de colocar as mãos no vidro do carro e dar um solavanco para trás, na esperança de conseguir sair da situação sem um arranhão. Eu não queria acreditar ao ver o homem acelarar mesmo em cima da passadeira. Eu não queria acreditar que aquele carro ia passar por cima por mim e não ia parar. Mas não,o senhor parou logo o carro, veio perguntar se estava bem. Explicou que a culpa tinha sido do Sol, que não me viu, bla bla bla,... Toda eu tremia. O trânsito parou. O senhor do autocarro até as mãos levou à cabeça. Foi uma cena digna de filme. Só que era a sério. Eu nem sabia o que dizer. Tremia, tremia. Agora dói-me a mão esquerda e o musculo do braço. Foi do impacto. Fiquei com medo daquela passadeira.

 

A minha sorte foi o quase. Quase mordida. Quase atropelada. Este dia começou bem, tem tudo para melhorar. Que mais me irá acontecer? Já não chega? É algum tipo de aviso? Se é, não estou a perceber os sinais. E dispenso.

O meu dia

 

 

 

 

De manhã acordei mais cedo que o normal. Eram 7 e os meus olhos estavam abertos e prontos para o meu dia de anos. Tinha quatro bolos para levar para a empresa. Sim, quatro! Pessoal de muito alimento. Preparei a roupa (não deu para usar os sapatos novos por causa da chuva) e o cabelo. Tive de ir buscar os bolos ao carro da minha mãe e colocar no meu carro. A chover. Quando cheguei ao emprego, tive de tirar os bolos e levá-los para dentro. Foi entrar e sair 3 vezes. De chapéu na mão, bolos na outra. Entretanto, passou alguém que me conhecia e esqueceu-se de dar os parabéns. Fiquei triste, mas tentei esquecer o assunto. Os colegas começaram a chegar, começou a corrida aos beijinhos e parabéns. "Tanto bolo!". A manhã correu bem. Telefonei à minha irmã, há um ano atrás tinha sido mãe e a minha sobrinha também estava de parabéns. O telemóvel recebia mensagens. Tocava com chamadas. Comecei a receber emails e comentários de felicitações. Bom, muito bom. (Obrigada!). A primeira prenda foi o vídeo do anjodaesquina. A segunda veio da Tânia, um pijama ternurento da Osyho. A terceira chegou em versão SMS. A mensagem mais especial que recebi, dando direito a lágrimas e tudo. (Esperando, não estava à espera!)  Não estava nada à espera, uma pessoa não é de ferro e depois é lamechas e dá nisto.  Adiante. O telefonema da minha mãe foi rápido e chegou perto do 12:30 (hora de nascimento). O almoço foi com a Marta no Grill, com direito a uma picanha para cada uma (ver fotos). A tarde passou rápido. Sem mais, para ser digno de contar. Pelo menos até às 17h.  Fim de trabalho. Já em casa escolhi a roupa que levaria ao jantar (raio da chuva). Tomei um banho, e debaixo do chuveiro fiz um pequeno filme de memórias. Ouvi vezes sem conta a mesma música e fui para a varanda da sala ver os carros passar, à procura de nem sei bem o quê. O João chegou e fomos para Lisboa. Chimarrão no Parque das Nações. Antes disso fui escolher a minha prenda. O maravilhoso e perfeito alisador de cabelo Imetec (vale muito a pena!). Recebi mais uns telefonemas, mais umas mensagens. O jantar correu bem, a comida é optima. Com direito a música (brasileira) ao vivo. Músicas românticas, que me fez ficar mais uma vez lamechas e lágrimas nos olhos. Pagar e ir para casa. A Marta ainda quis  entregar as prendas e beber um café ao Vila Bar. Tivemos direito a revelações, a palavras sinceras, a desejos e "conversa parva". Fiquei histérica. Uns ténis da Zara que queria há muito tempo, afinal também uso ténis, não são só saltos, né? E uns sapatos lindos da Mango, que andei a namorar meses a fio. Finalmente estão comigo. Coisa mais linda! Foi voltar para casa, ligar o portátil para ler os restantes comentários, e ver se a Cigana tinha visto o meu blog e deixado comentário. (Deixou!).

 

Deitei-me, recordei e sorri. (e desta vez consegui dormir)

 

(em relação ao Desafio Mau Feitio, os resultados saem no sábado, ok? terminava ontem, mas foi alargado. Até lá, podem ir enviando as vossas frases para o mail morena_mau_feitio@sapo.pt )

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D