Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

Conheci a educadora do meu filho

Hoje fui conhecer a educadora do Gustavo. Gostei dela. Pegou logo nele ao colo. Ele não se fez de esquisito, até gostou. Fomos para uma sala os quatro, eu, pai, Gu e a educadora. Colocou algumas dúvidas sobre o Gustavo. Como é que ele dorme, o que ele come, se tem algum brinquedo preferido, se gosta de chucha. Entregou-me uma lista com o material que devo levar. Tenho de levar fraldas, creme, toalhitas e leite. Roupa, um chucha suplente, biberão de água, uma foto dele para o calendário de aniversários,um objecto de modo a ser mais fácil a ligação com a casa e a família. O infantário estava cheio de crianças, uma confusão. Estive à porta do berçário mas ainda não conheci as instalações, vou noutro dia. Só ouvia crianças aos berros. Sério. Choro que não acaba. Uma aflição para a minha cabeça. Ele vai para o berçário dia um de Setembro, já tirei férias para esse propósito. A ver vamos. 

Dança com as estrelas, a nova novela da TVI

Vi o programa. Não há coincidências. O Ortigão dança com a ex-dançarina do Teixeira. A Vanessa Martins com o ex-dançarino da Sara Matos. O Ruas foi convidado. A Marisa Cruz foi convidada. E eliminada pelo público, para deixarem a Vanessa. A Vanessa dançou mil vezes pior que a Marisa. Diz que as linhas telefónicas deram buraco. Pois, sim. Então, e aquelas pessoas que gastaram dinheiro a ligar? Não é o público que manda? Deviam ter feito outra coisa. Não está correcto. Depois da Sara Matos, foi a vez do Ortigão. Não há coincidências. No final, ele ganha e vai fazer par com a Sara Matos numa valsa? A TVI e os casamentos, as histórias de amor. Estará a Teresa Guilherme escondida nos bastidores?

O programa tem força, vai fazer furor. TVI, a líder da televisão portuguesa. Continuo a não gostar dos gritos da Cristina. Gosto do cabelo, da voz e dos vestidos não, nossa senhora. Tenho pena que acabe tão tarde. Não vejo até ao final. Só no dia seguinte, queridas gravações.

Acho que já há vencedor. Começa por Or, termina em tigão. É uma coisa que sinto. Achei-o muito confiante. Por acaso, o Carreira foi mais humilde na hora de falar. Ah, o Pedro Guedes é insuportável. Sem paciência para palhaços. O Ruas e a espécie de bigode, dançou bem. Os meus preferidos são: Carreira, Marisa (gostei, querida) e Ortigão. A próxima a sair chama-se Isabel Figueiras.

A Lencastre estava magra. Lindona, mais nova uns cinco anos. Continua com as frases copy/paste, uma seca. Convidam o senhor Alberto para júri mas não aguentam que ele seja sincero. O homem é o único que vota com discernimento. E fala bem.

Não há concorrência que aguente.

Esta cabeça

Esta cabeça não anda certa. Sete e vinte, toda preocupada com o facto de ir chegar atrasada ao emprego. “Mãe, já estou atrasada! Adeus, adeus,...”. No regresso, a meio do caminho, apenas no meio, quase a chegar, descobri aquilo que já sei há anos. Entro às oito. Sobraram vinte minutos para beber o café. Esta cabeça não anda certa.

Queres saber quem são aquelas pessoas que te seguem no Instagram mas deixam logo de seguir assim que as segues?

Faz o seguinte. Faz o download da aplicação Follow Me no teu telemóvel. Fácil. Ficas a saber tudo. Acabou-se a brincadeira. Nunca mais te fazem de parva. Se há coisa que irrita um bocadinho são pessoas que pedem para seguir, metem alguns gostos nas fotos, eu começo a segui-las e meia hora depois deixam de me seguir. Naaaaaaaaaaaaaoooooooooo se faz. Querem seguidores, estudem para padres. 

 

Uma mãe de regresso ao emprego

Acordei às seis e meia. Tomar banho, tomar o pequeno-almoço. Engolir uma torrada com uma caneca de leite com chocolate. Ajeitar o cabelo e olhar para ele, "está a dormir tão bem...". Vesti-lo sem ele abrir os olhos. Abriu. Sorriu. Confuso. Sorriu. Tentar dar-lhe mama mas sem sucesso. Sem fome. Agarrar em tudo, com o marido, e meter no carro. Viagem sempre animado. Fomos os dois. Bater à porta da casa da mãe. Mãe toda despenteada, ensonada. Deitou-o ao seu lado. Tirei leite com a bomba. Vim embora, beijinhos e abraços. Um nó na garganta. Porra, maldito nó. Do nada, apareceu do nada. Segurei-me com se estivesse a ser vista por alguém. Estava sozinha. Gosto de ser forte sozinha. Estacionar o carro perto do emprego. Nó outra vez. Encontrei logo a Marta. Depois o Diogo. Uma mini-festa de boas vindas. Toma prendinha, toma bolo. Desta não estava à espera. Vá, quero trabalhar. Quero deixar de pensar nele. Falei nele, claro que falei. Lembrei-me muitas vezes das gargalhadas. O nó só aparecia quando fazia aquele filme mental da vida. Grávida, parto, casa, bebé Gu, beijinhos. Um filme que gosto de fazer para acreditar que é mesmo meu. Só liguei para a mãe ao meio-dia. Uma hora mais do que normal. Só boas noticias. Estava bem, a dormir. Tinha comido. Brincado um bocadinho. Paz. Mais umas horitas e estava com ele. Passou a voar. Almocei com a Marta. Meter a vida em dia. Rir, rir e esquecer o que lá vai, lá vai. Quando cheguei ele dormia, quando ouviu a minha voz acordou. Beijinhos, muitos, muitos. Fomos dormir a sesta para a cama da mãe. Uma sesta antes que eu caísse para o lado de tão podre que estava. Consegui. Tenho dores nas pernas que não me aguento. Cheguei a casa, dar banho, tomar banho, fazer a cama, beijinhos, dorme bebé. Está a dormir, eu vou jantar. Beijinhos. Sinto-me tão crescida. E podre. 

Muita coisa acontecer

É o fim da minha rotina, regresso ao emprego amanhã. Fazer a mala do Gu para levar para a minha mãe. Comprar mais umas quantas coisas para não andar para cima e para baixo com a tralha. Pensar se falta alguma coisa. Respirar fundo. A correria dentro de mim, eu em modo caracol.Contrariar sempre a ansiedade. É só amanhã. Calma, rapariga. Não pensar nas horas de sono. Sono, claro, muito sono. Sempre tive sempre problema ao domingo. Queria dormir, nunca conseguia. Vai ser igual. Voltar tudo ao mesmo. Mais ou menos. Tirando as horas, são menos, não são? Ontem, fizemos uma festa cá em casa. Uma despedida de mãe a tempo inteiro. Amigos, juntos. Adoro gritaria quando é gritaria a sério. Essa não me faz confusão. Já a televisão continua perturbar-me o sono. Volume baixo, se faz favor, para o menino não acordar. Mentira, para eu não desesperar. Foi tão bom, tão bom que o meu coração esteve duas horas a festejar com o estômago. Falar à falar. Tirar uma foto de grupo. Foi a primeira foto de grupo que tirei a sério. Com gritos. Despacha-te, estou cheia de calor. O Gu de colo em colo, no meu colo a maioria das vezes. Dormiu, com muito barulho. Voltou a dormir com silencio. Raio do moço, só surpresas. 

 

Logo à noite não The Voice. Há livros. Ando a ler Memórias de uma Gueixa. Estou adorar. Como é que nao o li antes? Como?! Há Dança com as Estrelas. Quero ver a Marisa Cruz a fazer figura de poste, quero ver a Vanessa (dizem que é a próxima Sara Matos), quero ver o Ortigão (dizem que é o próximo Teixeira). Quero ver. Só isso. Blogger que é blogger adora lixo televisivo. Logo à noite quero assistir ao filme Sei lá. Só porque é mais lixo. Por falar em lixo, a blogoesfera já não é o que era. Ninguém falou nos vestidos das meninas da festa da tvi. Está mal. 

 

Fui. Tenho os lençóis da cama para mudar e o jantar para adiantar. Tal saloia, casada com um filho. Lamento. 

Banho público | o novo jogo do facebook

A nova parvoíce do facebook chama-se "banho público". A ideia é tomar banho em público (piscina, praia, balde,...) no espaço de 48 horas, publicar o vídeo ou a foto no facebook, caso contrário pagam o jantar à pessoa que as nomeou na publicação. Parvo, não é? Não sei se pior que aqueles jogos da cor dos soutiens e do sitio onde meteram as chaves.

 

 

O pessoal da casa dos segredos anda a fazer isso. A Sofia nomeou o Diogo. Pensem comigo. Se ele não tomar um banho público paga-lhe o jantar. Está a pedi-las, não? Já vi pessoal do meu grupo de amigos a fazer isso. Esqueçam o meu nome. Não pago jantares, não jogo jogos, e deixo de ser vossa amiga se for preciso.  

Raios!

O portátil esteve no arranjo. Formataram o portátil. Ficou a zeros. Mas continuo a abrir sites e a ter publicidade espalhada. Irrita-me. Meteram um antivírus temporário. Não entendo nada disto. Não faço ideia se é normal. Estou aqui estou a comprar outro computador. Bolas! Tenho de ir outra vez à loja saber o que se passa aqui. 

Pág. 5/5

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D