Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

vinte minutos e está tudo dito

Tumblr_l1m2y6bhlc1qza6kro1_500_large

 

- Quero um relógio da nova colecção da Swatch, aqueles simples. - disse eu.

- Então e o outro que te dei? - perguntou ele.

- Perdi-o. Preciso de outro.

- Não há dinheiro.

- São 38€.

- Pois, 40€ é dinheiro.

- 38€.

- Pois. É dinheiro. Vou pensar.

 

Menos de vinte minutos.

 

- Se não fosse este horário tinha conseguido os bilhetes para o Porto-Benfica. Agarrava no carro e ia ver o jogo.

- Ficava uma viagem cara.

- Uns 40€. Mais os bilhetes, portagens e comida. Não é muito.

 

Olhem que giro. Não é? Coisa mais fofa, pá.

 

 

eu em dias

 

São 12 dias sem comer qualquer tipo de frito.

São 16 dias sem fumar um único cigarro.

São 15 dias a fazer exercício físico.

São 10 dias a dedicar-me à cozinha.

São 13 dias sem beber um pouco de álcool.

São 10 dias a beber pouco café, às vezes nenhum.

São 4 meses a ler dez livros no total.

São 4 meses a ir ao cinema 5 vezes.

São 4 meses a escrever diariamente.

São 4 meses à espera de férias.  

São 4 meses a poupar dinheiro na compra de roupa e futilidades.

São 4 meses a encher o mealheiro com moedas, dando um total de 72.50€.

São 2 dias a pensar numa nova história e colocar tudo em prática.

São 4 meses à espera do mês de Junho.

São 4 meses a pensar no meu sonho e a deixar para amanhã.

São 12 dias a sentir-me capaz de tudo.

Sâo dois dias à espera para ir à feira do livro.

 

E visto desta forma, nada mau.

 

 

este é o amor que quero, que queremos

Candy-heart-pills_large

 

Prefiro o amor silencioso e quieto:  um sentimento que não foi feito pra todo mundo frequentar.

 

Casamento é uma tentativa de fortalecer um laço que tem a fragilidade como essência – e aí mora sua magia. Deve-se tomar cuidado com a armadilha de ter que ser para sempre. A obrigação é inimiga do desejo. Ignorar a promessa de eternidade talvez seja um bom começo para quem quer ficar junto o resto da vida.

 

Para uma relação, levam-se problemas, histórias, medos, frustrações. Mas não é essencial casar-se com a fila de banco que o outro teve que frequentar, nem com a irritação depois de um dia de trabalho. É importante dar colo o tempo todo. Dividimos com o outro as coisas difíceis na intenção de que elas se dissipem, não na de que aumentem de tamanho. Se for somar, que sejam as alegrias.

 

Cris Guerra

depois de tanto pregar contra a quinta do Facebook eis o que me acontece

 

A Daniela quer ir este fim de semana para a casa da tia. Tudo muito bem. Desatou aos gritos quando a deixaram.

 

- Fixe! Vou ver a minha horta.

 

Quê??? A tua horta?? Não posso estar a ouvir bem. Chamei-a.

 

- Que horta é essa, não me digas...

- É uma horta que a Diana e a Catarina também têm, a mana Elsa, todos têm, é no computador.

 

Ok, percebi tudo.

 

- Não acho boa ideia essa coisa da horta. Tu devias era ler em vez de perderes tempo com esses jogos. Quer dizer que também tens umas conta no Facebook,certo?

- Sim.

- Oh meu deus.Não acho nada bem. Nada bem.

- Está bem.

 

Foi buscar um livro e sentou-se ao meu lado a ler em voz alta. Talvez em forma de desculpa ou para me mandar calar de mansinho.

 

Assim que conseguir os dados, apago a conta dela. Tem seis anos, bolas. Mas onde é que vamos parar? Sou retrograda? Deixem-me ser. Miúdos da idade dela deviam brincar com bonecas, à bola, saltar à corda, desenhar, tantas coisas. Hortas? Facebook? Fotos online? Começo a ter medo que ela cresça. Porra. E só por causa de situações destas: Odeio (cada vez mais)  o Facebook e merdas do género.

 

 

 

consoantes

 

Quando vi aquelas letras, chorei. Tentei evitar mas o vento não deixou. Culpa do vento que me bateu forte nos olhos e me fez lembrar de ti. Do vento e das letras. Quase jurava que andaste no lugar do costume a marcar melhor a letra dele. A dele. Não a tua. Quase aposto que estiveste na porta do número catorze a mirar a minha janela, chamando-me nomes. A pensar como foi possível tudo virar pó do chão que pisámos. Tal e qual a nuvem passageira de que todos falam Quase aposto que mais ninguém tem uma história como a nossa gravada em duas letras. Ou três.Depende do ponto de vista.

 

Do meu ponto de vista, obviamente.

Pág. 1/8

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D