Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

Não abusei

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sou pouco meiga a pedir.  Cá vai. Dividi isto em duas partes. Primeiro as prendas baratinhas, se forem dadas todas ao mesmo tempo deixa qualquer uma babada e com uma enorme quantidade de embrulhos para abrir.

 

Livro do António Lobo Antunes

Caneta Hello Kitty

Mala preta com tiras

Agenda 2009

Carteira preta

Laço para o cabelo

Vogue britânica

Planta para o quarto vermelha

Peluche em forma de pinguim (eu é que sei)

Pulseira prateada

Mapa de Lisboa (oh God)

Suporte para canetas

 

Tudo coisinhas fáceis de encontrar e não custa nada. Vamos então à segunda parte das prendas. Não abusei. Eu cá acho.

 

Todas as Séries do Sexo e a Cidade.

Mala Chanel

Bilhete de avião para Londres

Casaco ao Xadrez Mango

Botas Aldo

Máquina de Escrever Electrónica

Assinatura da Vogue Britânica

Máquina Fotográfica Digital (preciso tanto, o meu telemóvel é uma porcaria)

Colete em Pêlo

 

Sei que nem metade vou receber mas fica o desejo, que isso é de borla. Sonhar. Este ano vou ter problemas na compra de prendas. O dinheiro não chega para tudo o que quero e gasto. Curso de Escrita, ginásio, prendas, internet,... Estou pobre mas feliz. Mas porque raio inventaram o Natal? Pronto, eu sei. Está bem,está bem.

Leve

Hoje fui inscrever-me num ginásio. Uma das minhas prendas este Natal para a  saúde física e mental. Fiquei logo mais leve. Exactamente. Tirei o dinheiro da carteira e voilá, quase que voei com o vento de tanta leveza. Pensamento positivo: Posso usufruir do ginásio sempre que quiser. Faz bem Cláudia. Faz bem.

 

Este mês investi em mim. Se não formos nós, quem mais?

 

Primeiro nós.

 

 

Principalmente por mim...

 

 Vou tirar um curso de escrita criativa nesta companhia. Companhia do Eu que podem visitar no link abaixo indicado. Tem mais cursos, alguns bem interessantes. Na revista  Happy deste mês saí um voucher que dá direito a 50% de desconto nos cursos de escrita criativa e eu vou aproveitar. Começa em Janeiro e será uma mais valia para a forma como escrevo e a nível pessoal. A companhia é em Lisboa e todas as segundas terei de fazer uma viagem de comboio e metro à noite. Cuidado é preciso. Um dia disseram-me que tinha talento, que este curso seria bom  e eu decidi seguir o conselho da menina TNT que regressou para nós. Ela sim tem talento e receber um elogio vindo dali aquece o ego e deixa-me babada, por isso é que ainda guardo aquele email.  

 
Que tal pensarmos mais em nós e tirarmos um curso que nos enche as medidas e ainda nos traz maior realização pessoal? Quando se está bem por dentro, nota-se por fora e isso traz mais alegria e alegria.
 
Viva nós! Viva a TNT!
Link da Companhia do Eu: www.companhiadoeu.com

Ontem antes de adormecer

fiquei a pensar numa coisinha. Como é que as pessoas que visitam o meu blog descobriram o dito cujo?

 

Destaques na Sapo? Links noutros blogs? A minha visita no vosso próprio blog?

 

Contem-me tudo e não me escondam nada. Uma pessoa quer ir para a cama sem pensar nessas coisas de quem não tem mais nada para fazer.

 

(sacia-me a curiosidade)

 

 

Batom, o novo blog

Depois do Passatempo Mau Feitio, uma salva de palmas para os participantes, eis que venho anunciar o meu novo blog. Destinado totalmente para MULHERES e nada mais que MULHERES. Xô homens pequeninos, nada de espreitar. O que tem o blog de mais? Nada. Sou suspeita, o blog é da minha autoria e já conta com 4 posts fresquinhos, incluindo o de boas vindas. Chama-se BATOM, o feminino. Falo de um mundo que só as mulheres conhecem. Do lado lateral direito têm mais links para lerem sobre moda e não só.

 

Se gostas de moda, o blog é para ti. Se és MULHER, o blog é para ti.

 

Espreita e deixa lá um pouco da tua presença.

 

Ideias nunca são de mais. Esta foi mais uma.

 

Viva eu! Viva nós, mulheres!

 

(para entrares no Batom, clica AQUI)

Em primeiro, no Passatempo Mau Feitio

Autor: Fogo

Blog do Autor: fogodeletras.blogspot.com

 

Se eu morresse hoje não sentirias muito a minha falta, todos a darem-te atenção a dobrar, muito mais protegida e mimada sem entenderes a razão, a apontares para os homens das revistas parecidos comigo, mais tarde terás de viver com os mesmos traumas que eu, mas para já só acordas a meio da noite com um pesadelo e a chamares por essa palavra proibida lá em casa
 
- pai, pai, onde está o pai?
 
tu a contares aterrorizada os dias que faltam para o Dia do Pai, onde todos na escola fazem cartões com corações para dar aos pais, onde todos falam de tudo sobre os pais, tu envergonhada num canto a implorar que ninguém repare em ti, mas quando chega a tua vez de falar atrapalhas-te e os olhos do mundo fixam-se em ti,
 
- não tens pai?
 
como se fosses um bicho raro numa feira de curiosidades, a professora a querer saber todos os pormenores sórdidos, todos virados para ti com os olhos bem abertos à espera que uma lágrima tua os console e complete o espectáculo, a certa altura fazes-lhes a vontade, todos ficam finalmente sossegados, eles para sempre a olhar para ti com pena e caridade, tu a odiar essa palavra que gostarias que não existisse
 
- pai, ela não tem pai, não tens pai?
 
os amigos e família vão passar o tempo a falar-te das minhas qualidades, como se eu não tivesse defeitos, como se os meus continuados falhanços não tivessem importância, tu com raiva de quem se atreveu a falar mal de mim, mas com mais raiva ainda desse mito que não te deixa respirar e que te pesa mil toneladas em cima dos ombros, a tentares ser a sombra de alguém que nunca existiu, tu num canto qualquer a dizeres baixinho essa palavra sagrada e profana
 
- pai, pai, pai...

FIM

 

 

Parabéns Fogo! Este texto está magnifico,tocou-me de uma forma especial. Já fui essa menina que um dia ficou sem pai e chamou assim pelo pai, e passou por essa situação na escola e não gostava nada. Não foi só por isso que ganhou, deve-se também à critiatividade, à construção do texto, à imaginação.  Fiquei estusiasmada ao ler estas palavras e disse logo em voz baixinha: É este o texto que vai ganhar! O namorado leu todos os textos comigo e também disse o mesmo. O juri esteve em sintonia e ganhou com a maioria. Que dom! Que forma maravilhosa de escreveres. Fazes-me lembrar o meu escritor preferido. Sério. Com alma tudo fica diferente. Não, não digo que tens mau feitio. Digo apenas que ganhaste um livro enviado pela Cláudia Oliveira que tem mau feitio. Não deve ser leitura que te interesse mas um prémio é um prémio. Nunca fiquei em primeiro lugar em alguma coisa, tu já não podes dizer isso. Um dia disse-te que tinhas feito uma grande publicidade ao teu blog, hoje tens uma ajudinha minha.

 

Desejo-te vida, muito vida!

Viva ele!

Em segundo, no Passatempo Mau Feitio

Autor: AlfamaniaK

Blog do Autor: http://audaciosos.blogs.sapo.pt/

 

"Se eu morresse hoje, provavelmente estaria sentado e seria como uma lágrima que se recusa a brilhar. Sei que a minha ausência seria notada,de forma leve e sobreira, mas notada... declarava guerra à dor que seria sentida, e rogaria para que o tempo voltasse atrás. Não para te recuperar, mas para te libertar. Recuaria até ao princípio e, sabendo tudo o que vivêramos, relegava-te a um novo destino, só para que não me visses partir.


Não ficaria arrependido dos momentos bons que te havia prometido e que ficaram por te conhecer, mas...

Não seria o último dos teus desejos, e não seria menos feliz por isso,mas...
Não te deixava más memórias, apenas boas, mas...
Não me esqueceria do teu sorriso, de manhã... à tarde... à noite... e enquanto adormecias nos meus braços, mas...
Não seria o senhor do castelo que sonhaste, o herói que te salvou, o guardião que te cobriu, mas...


...libertar-te-ia de mim, antes de me conheceres. Prefiro ser eu a carregar a dor de todos os “mas” que agoiro, para que tu não sentisses a minha ausência.E juro! Juro que não te cobrava um único momento que ficou por passar. Deste-me tanto, e eu recebi. Dei-te e recebeste, sem questionar.

Agora; se eu morresse, a lágrima que recusa brilhar não te quero dar. Suplicarte-ia por favor recusa a lágrima, porque eu não vou conseguir retê-la... mas eu sei que...

Se eu morresse hoje, provavelmente estaria sentado. Seria como uma~lágrima que se recusa a brilhar, contigo a meu lado à espera desse brilho.
 

Amo demais, e não te condeno por seres igual."

 

Em terceiro, no Passatempo Mau Feitio

Autoria: R.L.

Blog da autora: www.asinhasdefrango.blogspot.com

 

Se eu morresse hoje, morreria no silêncio absoluto das coisas amadas. Iria para lá da morte, para lá da luz que nos trespassa no último instante de vida.
 
O silêncio absoluto das coisas amadas, que nos restam e que ficam. Como um rasto de caminho perdido entre a despedida que não se deu, porque apesar de tudo, não me despediria. Fosse a dor o que quisesse, morreria com um sorriso, se eu morresse hoje.
 
Poucos saberiam, talvez alguns viessem a questionar-se. Mas quantos no mundo morreriam hoje comigo?
 
Se eu morresse hoje arrepender-me-ia de ter desejado que no dia da minha morte alguns se sentissem culpados. Pois no derradeiro instante, aquele em que sentimos o desvanecer do corpo e depois da mente, no derradeiro instante, percebemos que a morte não cura dores passadas, nem anseios, nem medos, nem prisões de sentimentos. A morte cura apenas a vida.
A vida doente daqueles que a viveram cansando-se ou não, até chegar o último minuto. Vida doente, de prazeres recheados, de dores, de alegrias, de males. A vida é sempre doente.
Doente de amor.
Quantos não quiseram já morrer de amor?
Não se morre de amor. O amor somente morre connosco.
 
Se eu morresse hoje, o amor morreria comigo, assim como morreriam todas as pequenas coisas que me pertenciam, e a mais ninguém, apesar de guardadas nas memórias apertadas de quem as quisesse recordar.  
 
Se eu morresse hoje ficavam alguns sonhos por realizar. Mas o que são afinal os sonhos numa vida doente que caminha para o acabar?
Onde estivesse, continuaria a escrever. Palavras doces, amargas, doces amargas e silenciosas, como de costume, para quem, dentro de si, as soubesse ler.
 
Se eu morresse hoje, se pudesse, chegaria perto de cada um no mundo que perdeu alguém, matou alguém, viu alguém morrer…e diria: que o melhor que foi criado, foi um novo dia – o amanhã. E se eu morresse hoje, amanhã já cá não estaria… talvez.
 

 

Parece-me que...

... tenho um monte de textos que começam por  "Se eu morresse hoje..." para ler.  Eu e o namorado vamos fazer de juri. Fomos formados para tal. Ele quer ajudar, eu agradeço.  Um juri atento ao pormenor de cada letra. Que vença o melhor, amanhã cá estará o nome do grande vencedor do Passatempo Mau Feitio. Têm até ao fim do dia de hoje para enviarem o vosso texto para o meu email. Usem a imaginação, sejam criativos, inventem, sei lá...

 

Confesso está dificil a decisão, mas os jurados vão reunir-se hoje na minha casa, no meu quarto para discutir o assunto.

 

Agradeço desde já a todos os que participaram até agora, seus valentes. Viva eu, viva nós!

Pág. 1/4

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D