Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

A Mulher Certa

claudiaoliveira23[gmail]com

Crónica de Amor - A pessoa certa

Thomas Wylde Bag, Miss Sixty Blouse, Miss Sixty Sweater

 

Vou meter o meu melhor perfume antes de vestir a camisola para que se note. Assim que chegar ao carro, o Diogo vai notar e dizer que cheiro bem. O parvo do André nunca notava. Não vou pensar no André, não vou. Ele que se lixe e nem sequer me apareça à frente. Não vou pensar. O Diogo é que é, mais maduro, mais simpático e sempre pronto para correr atrás quando mais preciso. Estou pronta para voltar a encontrar o amor, ele apareceu mesmo na altura certa. Agora é que é, agora é que vai ser. Já nem sequer penso no André, esse estúpido. Vou jantar fora ao melhor restaurante de sempre, enquanto ele me mete um anel lindo no dedo. Vai oferecer-me flores e eu vou fazer planos para o futuro, onde entram dois filhos. Um casalinho. Ele é o homem certo, tem tudo para me fazer feliz. Aí quando o André me conhecer feliz, vai perceber aquilo que perdeu. Era a mulher certa,  jamais ia precisar de outra para o meu lugar. Tenho pena que já venha tarde. O Diogo é mil vezes melhor. Até tem mais estilo. Não usa os mesmos ténis velhos que o André, nem aquele cachecol cinza com um pequeno fio desalinhado. Vou passear de mãos dadas e beijar na boca em qualquer lugar, sem ter de me esconder do que seja. E não vou pensar no André, esse teve um fim no meu coração. Vou dançar a música que mais gosto, que por acaso é a música que o André mais gosta. Vou dançá-la nos braços do Diogo, porque esse sabe dançar. Agora que acabo de vestir a minha saia preta preferida acabei de me lembrar que o André gostava de a subir sempre que estávamos no carro, enquanto me sentava ao seu colo. De pernas entrelaçadas ao seu corpo. Não interessa. Só vou pensar um bocadinho. Isso não vai fazer mal nenhum. Faz parte do passado, o Diogo é o meu futuro e a pessoa certa.

 

Assim que entrei no carro do Diogo, "cheiras bem", disse-me. Ligou o rádio, tocava a música que mais gosto. Eu olhei pelo vidro embaciado e disse baixinho. André, tu és o único que vou conseguir amar. E seguimos viagem.

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D